A Oração Diária


Ler em formato flip
17/07/2020 #Artigos #Editora Concórdia

“Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona” (Atos 3.1).

A Oração Diária

     Em Atos 3.1, lemos: “Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona”. Mais adiante, em Atos 10.9, lemos: “subiu Pedro ao eirado, por volta da hora sexta, a fim de orar”. Daniel, estando no exílio, na parte de cima da casa onde morava, diante das janelas abertas em direção a Jerusalém, “três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer” (Dn 6.10).        

     No tempo do Antigo Testamento, havia horas definidas para oração, além dos sacrifícios da manhã e da tarde que aconteciam no templo. Quem não estivesse no templo ou na sinagoga, podia fazer suas orações onde estivesse. Na Igreja do Novo Testamento, essas horas de oração continuaram a ser observadas na vida dos cristãos.        

     Com o surgimento dos mosteiros, foram adicionadas horas de oração, sendo que, por volta do ano 530, São Bento organizou as horas de oração em sete momentos, assim distribuídos: Matinas e Laudes, antes do amanhecer; Hora Prima, por volta das 6h; Hora Tércia, por volta das 9h; Hora Sexta, por volta das 12h; Hora Nona, por volta das 15h; Vésperas, por volta das 18h; Completas, antes de dormir. É claro que o povo não poderia participar de todas essas horas de oração; elas foram instituídas para os mosteiros como momentos de oração, leituras bíblicas e canto de salmos. Isso fazia parte da formação sacerdotal e da vida nos mosteiros. Lembremos que um exemplar da Bíblia era muito raro antes da invenção da imprensa e que, a leitura bíblica, portanto, teria que ser feita para grupos, uma vez que não havia Bíblias disponíveis para que cada um, individualmente, pudesse ler a Bíblia quando quisesse. Com essas Horas de Oração definidas, os estudantes que se preparavam para o sacerdócio podiam ouvir constantemente a Palavra de Deus.        

     Com o surgimento da Reforma, e, agora, já com a Bíblia impressa, a Igreja Luterana que surgia deu ênfase às Matinas e Vésperas como orações e leitura diária da Palavra de Deus especialmente para as escolas. Aos sábados à noite e aos domingos, os membros em geral também eram convidados a participarem desses momentos de oração. Até se tornou praxe nos sábados à noite fazer-se a confissão particular junto às Vésperas, como preparo para a participação da Santa Ceia no domingo que se seguia.        

     As Horas de Oração Diárias nos servem hoje em dia como exemplo para nossas orações diárias. Não é possível nos reunirmos diariamente em nossos templos para horas de oração definidas. No entanto, essas horas de oração históricas nos induzem a fazermos uso das Matinas e Vésperas a exemplo do uso que foi feito no tempo da Reforma. Em nossos cultos ou estudos bíblicos, podemos fazer uso dessas ordens para momentos de oração, leitura bíblica e cânticos. Todavia essas Horas de Oração nos servem também de exemplo para que em nossa vida diária façamos regularmente nossas orações e leituras bíblicas. Podemos orar regularmente ao dormir, ao levantar e nos momentos de refeições, além de fazermos nossa leitura diária da Bíblia e devoção particular ou em família.

Raul Blum

Pastor, maestro, coordenador da Comissão de Cultos da IELB

Artigos Leia mais


Notícias Leia mais


Assine o Mensageiro Luterano e
tenha acesso online ou receba a
nossa revista impressa

Ver planos