Tecendo vidas!


15/10/2019 #Artigos #Editora Concórdia

Pelo Dia do Professor dedicamos aos professores, alunos, e a todos os que se ocupam com a arte de educar e aprender para a vida, esta reflexão!

Tecendo vidas!

Quer ver uma coisa linda? Entre numa sala de aula, silenciosamente, de preferência fique meio invisível, e veja o brilho nos olhos do professor apaixonado pela profissão. Dizem que são poucos, não acredite, são muitos. Falo por experiência. Espere um pouco mais e troque de posição, veja os olhos das crianças[1]. No início, um pouco sonolentas, meio distraídas, achando graça de tudo. Mas aí acontece: o professor começa a ensinar, e os olhos das crianças brilham de um jeito inesquecível. Como um hábil tecelão, o professor vai unindo fios de conhecimentos, fazendo conexões, unindo os fios do que a criança já sabe com os fios do novo conhecimento, e o resultado é sensacional.

Palmer[2] diz que as conexões feitas por bons professores não estão nos métodos, mas nos seus corações. O coração é o tear onde os fios são atados – a tensão é mantida e o tecido é esticado. Não é milagre então que o ato de ensinar puxe os fios do coração, abra e até quebre o coração; e, quanto mais amamos ensinar, mais o coração poderá se partir. Mas o professor cristão se renova a cada dia buscando, na Palavra do Senhor e nos sacramentos, alento para continuar ensinando, mesmo com todas as conhecidas dificuldades da profissão.

Palmer diz ainda que ensinar é espelhar a nossa alma. Ensinamos aquilo que somos em tempos bons e ruins, quando estamos felizes, em tempos de luz, e quando a tristeza recai sobre o professor como as trevas. Quando ensinamos, projetamos as condições de nossa alma sobre nossos alunos, sobre a disciplina que a ser ensinada e sobre a forma como nos relacionamos. Em se tratando de professores cristãos, essa tarefa se torna muito mais complexa e multifacetada, pois espelhamos a imagem de Cristo; os cristãos são o rosto de Cristo.

Lutero escreveu: “A Deus, aos pais e aos mestres nunca se poderá agradecer e recompensar de modo suficiente” [3]. Então, é tempo de agradecer a todos os professores por seu trabalho dedicado, agradecer especialmente aos professores que atuam em educação cristã e/ou que atuam como cristãos. Uma palavra especial de agradecimento aos professores de Escola Dominical que de forma corajosa, entusiasmada e voluntária fazem o trabalho que Jesus quer que façam, trabalho de fundamental importância para suas congregações e missões e para a Igreja.

Também é tempo de dar parabéns para as crianças que nos maravilham com suas capacidades, nos deixam exaustos com suas reservas incríveis de energia, nos surpreendem com suas novas ideias, nos desafiam com suas perguntas e nos emocionam com seu afeto. Nós, seus professores, pedimos que não percam nunca o brilho nos olhos e a curiosidade, que respeitem seus pais, seus professores e amigos, seu pastor e todas as pessoas, especialmente aqueles que os ensinam, que não aceitem opiniões e teorias como sendo verdades absolutas e que não tenham medo de falar de sua fé. Pedimos ainda que jamais deixem de falar que Jesus Cristo é o seu Salvador pessoal, que falem de Cristo, contando a mais importante história do mundo: “eu tenho um Amigo que me ama, que me perdoa, que me salva, o seu nome é Jesus”.

 

Feliz Dia do Professor!

[1] Crianças e alunos de todas as idades.

[2] PALMER, P.J. The Courage to Teach. San Francisco: John Wiley & Sons, 2007. Pág.11.

[3] CATECISMO MAIOR, I, 130.

Beatriz Warth Raymann

Ph.D. Professora/Fonoaudióloga tendo atuado em Educação Especial, Ensino Superior, Escola Dominical São Leopoldo,RS

Artigos Leia mais


Notícias Leia mais


Assine o Mensageiro Luterano e
tenha acesso online ou receba a
nossa revista impressa

Ver planos